sábado, 18 de fevereiro de 2012

Ver Beleza na Colagem da Vida

Ver Beleza na Colagem da Vida

Fevereiro 2, 2012

Maria Fontaine

Todos enfrentam situações que fogem ao ideal ou que são difíceis de enfrentar e precisam superar. Você talvez tenha uma doença debilitante ou que lhe causa dor. Pode ser que certos aspectos do seu casamento não estejam de acordo com o que espera. O sustento financeiro é frequentemente um desafio. Talvez a sua situação de moradia deixe a desejar ou talvez estejam passando por provações de caráter pessoal ou uma experiência sentimental dolorosa. Quem sabe não estejam tendo dificuldades com as crianças e para ajudá-las a superar questões relativas ao comportamento? Outra possível situação é a luta no serviço ou talvez a dificuldade de convivência com certas pessoas. Existem mil e uma provas e batalhas no nosso dia-a-dia.

Nós, como cristãos, temos a Palavra, o consolo, e encorajamento que o Senhor nos dispensa, além de irmãos na fé, e colegas que muito fazem para aliviar o nosso fardo. Mas mesmo assim, a nossa vida não é um mar de rosas nem isenta de dificuldades.

Esta mensagem de Jesus é um encorajamento sobre essa questão. Apesar de não apresentar soluções mágicas para livrá-lo das provas da vida para todo o sempre, vai lembrá-lo da perspectiva do Senhor. Talvez após esta leitura você se sinta mais grato e louve mais por tudo que Ele permite na sua vida, porque essas coisas o tornam quem você é e o fortalecem. Se deixar, tudo isso pode contribuir para o seu bem.

Jesus diz:

A vida na Terra inclui dificuldades, não tem como escapar disso. Não significa que Eu não o esteja abençoando ou que você esteja agindo errado. Simplesmente existem ocasiões em que ocorrem dificuldades, e algumas delas perduram por toda a sua vida.

Veja os que nascem com deficiências físicas ou de carência financeira. A vida na Terra é um campo de treinamento e provas para o cristão e o ensina a tomar as decisões certas apesar das tribulações. Ela o ensina a ter uma visão positiva mesmo achando que não há esperança, a optar por amar, compartilhar e sacrificar mesmo que não tenha o suficiente, e a fazer o que é certo mesmo quando tudo ao seu redor está errado.

Aqueles que Me conhecem possuem muita verdade e conhecimento que os coloca um passo à frente na questão de tomar decisões. Possuem ferramentas espirituais como, por exemplo, louvor, oração e as palavras que lhes digo, que não só os ajudam a tomar as decisões certas, mas alteram as situações no plano espiritual de modo que a batalha se torna mais fácil e conquistam mais vitórias.

Foi-lhes dada também a promessa do Céu e sabem que vão receber recompensas se Me servirem e fizerem o que lhes peço. Possuem o dom de profecia que lhes dá bastante percepção espiritual para aproveitarem ao máximo cada situação e estarem um passo adiante. Mas nada disso nega o fato de que a vida na Terra é difícil. É uma guerra espiritual com certeza, além de uma prova e treinamento para cada pessoa. Só porque alguém é Meu filho não significa que vai escapar dos reveses.

Não faz diferença se você é cristão ou não, se é uma secretária ou um executivo, se é professor ou missionário, se tem um trabalho especializado ou é pau pra toda obra — você está correndo uma carreira e precisa aprender certas lições durante a sua passagem na Terra, as quais não vai aprender de nenhuma outra maneira. Uma grande parte desse processo, crescimento e experiência se realiza através de dificuldades e situações que não ocorrem como se esperava, como, por exemplo, resultados ruins que o forçam a uma decisão e situações que exigem demais de você e mostram se ainda assim vai tomar as decisões certas.

Essa é uma razão por que é tão importante manter os olhos fixos no Céu e a visão celestial, pois têm certeza que um dia, em breve, Eu vou enxugar todas as suas lágrimas, não haverá mais morte, pranto ou tristeza, pois as coisas antigas terão se desfeito (Apocalipse 21:4). Esta é uma promessa que fiz a vocês e a todos os Meus filhos no decorrer das eras.

Eu entendo, vivi na Terra como um ser humano e enfrentei muitas dessas provas que vocês enfrentam hoje, por isso entendo como se sentem lá no fundo. Eu sei como é difícil, como certas coisas machucam ou desanimam, e sei como reconfortar vocês.

Existe consolo e uma promessa de vitória. Vocês possuem a bênção de poder olhar para Mim e ter um vislumbre da razão de toda a luta, mesmo que não vejam claramente. Algumas pessoas passam a vida sem a mínima esperança e entendimento. Vocês sem dúvida são muito abençoados.

Não posso livrá-los totalmente dessas provas e dificuldades da vida, porque são um fator importante na razão por que estão aí. Mas supri respostas, soluções, percepção espiritual, entendimento e armas espirituais que os colocam em uma posição de vantagem na batalha — se as usarem.

Um dia destes vou reunir vocês e todos os Meus fieis filhos e trazê-los para o Céu. Será uma grande felicidade para todos. Os seus ferimentos de batalha vão reluzir de verdade. As provas e dificuldades suportadas terão acrescentado à sua fé, e quanto mais fé tiverem, mais ricos serão no plano espiritual. Portanto, não deixem essas batalhas os desanimar. Grande é a sua recompensa no Céu, pois assim também suportaram os profetas que vieram antes de vocês.

Publicado originalmente em março de 2006. Atualizado e republicado em
fevereiro de 2012. Tradução Hebe Rondon Flandoli. Revisão Denise Oliveira.



Copyright © 2012 The Family International.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

AS DUAS FESTAS




As Duas Festas






As Duas Festas

Maria


Outubro 15, 2011

Quero contar para vocês duas histórias de duas festas nada comuns, às quais o Personagem mais poderoso deste mundo compareceu por meio de um dos Seus representantes, Tony Campolo,[1] e deu a todos um presente precioso e totalmente diferente de tudo o que jamais haviam recebido.

A primeira festa foi espontânea, durante uma viagem de Tony Campolo ao Haiti para cuidar de assuntos do trabalho missionário. Ele estava entrando no hotel quando foi abordado por três adolescentes.

A garota do meio disse, “Olha, por dez dólares o senhor pode passar a noite toda comigo.” Atônito com o que ouviu, virou-se para outra garota que a acompanhava e perguntou, “Posso ficar com você por dez dólares também?” ela concordou. Então Tony fez a mesma pergunta à terceira garota e obteve a mesma resposta.

“Ótimo! Eu tenho trinta dólares! Apareçam daqui a meia hora no apartanento 210. Vou pagar a vocês e quero passar a noite toda com as três!

Correu para o quarto e logo ligou para a recepção. “Poderia, por favor, enviar todos os vídeos de cartoon da Disney para o apartamento 210?”


Depois disso, ligou para o restaurante e pediu quatro banana splits: “Gigantescas e caprichadas! Com mais chantily, mais cobertura de chocolate, e mais xerém!”

Meia hora depois chegaram os vídeos e as três garotas, e então a banana split. Sentadas na beirada da cama, devorando as banana splits e curtindo cada filme, elas ficaram ali até mais ou menos uma hora da manhã, quando a última caiu no sono. Deve ter sido a melhor festa da vida delas, ou, quem sabe, a única festa da qual tinham participado até então!

Observando aquelas figuras franzinas na cama, Tony pensava, “Nada mudou. Amanhã elas vão estar de volta nas ruas vendendo seus corpos por dez dólares por programa, porque sempre haverá homens depravados e nojentos destruindo a dignidade de garotinhas por dez dólares por noite.”

Então o Espírito falou com ele. “Mas por uma noite, Tony, você lhes deu a oportunidade de serem crianças novamente. Não mudou suas vidas, mas por uma noite lhes devolveu a infância.”[2]

É triste essas coisas existirem no mundo, mas servem de lembrete de que sempre podemos fazer algo, mesmo que simples, para tocar uma vida com a esperança de um futuro melhor no reino de Deus. Estou convencido que aquela noite fez a diferença na vida das garotas e em seus espíritos, que elas sentiram o amor de Jesus de uma maneira linda que jamais esquecerão. Aquela gentileza inédita foi a sementinha de amor plantada em suas vidas que causaria alguma mudança, se não nas circunstâncias, com certeza no coração e no espírito de cada menina. Se nunca tinham sido amadas, a partir daquele momento ficaram sabendo que existia amor verdadeiro.

Apesar de Tony não ter dito isto, eu, conhecendo sua vida e ministério, tenho quase certeza que aquelas garotas encontraram o caminho para Jesus naquela noite, que O aceitaram em seus corações e realmente mudaram no aspecto mais importante. Não importa o que lhes aconteça nesta vida, Jesus sempre estará ao seu lado, ajudando-as a suportar, mesmo que não percebam. E no final desta breve vida elas serão acolhidas nos maravilhosos braços de Jesus, quando tudo ficará certo — para sempre! Então, será que valeu a pena? Sem dúvida! Foi uma grande vitória!


A outra festa mencionada por Tony foi no Havaí. Chegara a Honolulu já tarde da noite, morrendo de fome. Às 3h30m, tudo estava fechado, exceto uma lanchonete em uma travessa, “um daqueles lugares esquisitos que merecem ser chamados de copo sujo’. Não querendo tocar o cardápio imundo, ele pediu uma xícara de café e um sonho.

O sossego da madrugada foi quebrado pela chegada de oito ou nove prostitutas escandalosas, vestidas provocantemente – e que deixaram Tony muito constrangido.

O local era pequeno e o papo entre elas era grosseiro e em alto volume. Sentindo-se totalmente desambientado e pronto para sair, Tony parou subitamente ao ouvir a mulher ao seu lado dizer, “Amanhã é o meu aniversário. Vou fazer trinta e nove anos.”

Sua “amiga” respondeu com um tom irônico, “O que você quer de presente? Quer que eu faça uma festa? O que você quer? Quer que eu providencie um bolo e cante os parabéns?”

“Qual é!?" Disse a garota sentada perto de Tony. "Não precisa me tratar assim! Eu só estava mencionando que é o meu aniversário. Você tem que me ofender? Não quero nada de você. Por que haveria você de organizar uma festa para mim? Eu nunca tive uma festa de aniversário em toda a minha vida, por que haveria de ter uma agora?”

Esse diálogo fez Tony mudar de planos. Esperou todas saírem e foi perguntar ao atendente se elas frequentavam o local todas as noites. A resposta foi positiva.

“Aquela que estava sentada ao meu lado vem todas as noites?”

“Vem!” ele afirmou. “Ela se chama Agnes. Vem todas as noites. Por quê?”

“Porque a ouvi dizer que amanhã é seu aniversário. O que você acha de fazermos uma festa para ela aqui mesmo amanhã à noite?”


Esboçando um sorriso, Harry, o gorducho dono do estabelecimento ficou todo entusiasmado com a ideia. “Ótimo! Gostei da ideia!” disse ele. Chamando a esposa que estava na cozinha, nos fundos, explicou, “Este cara teve uma ótima ideia. Amanhã é o aniversário da Agnes e ele nos convidou para fazer uma festa para ela aqui mesmo à noite!”

A esposa, obviamente feliz com a possibilidade, exclamou, “Maravilha! Sabe, a Agnes é o tipo de pessoa simpática e gentil, mas ninguém nunca faz nada por ela!”

“Olha, se estiver bem com vocês, volto amanhã às 2h30 da madrugada para decorar o salão. Vou até comprar um bolo de aniversário!”

“Absolutamente!” disse Harry. “O bolo é por minha conta. Pode deixar que eu faço.”

Às duas e meia da manhã, Tony estava de volta à lanchonete com enfeites de papel crepom comprados na loja e um cartaz feito de pedaços grandes de papelão onde estava escrito, “Feliz Aniversário, Agnes!”. O local ficou lindo depois de todo enfeitado.

Pelo jeito a notícia se espalhou, porque às 3hs15m a impressão era que todas as prostitutas de Honolulu haviam comparecido. O lugar estava abarrotado de prostitutas… e Tony no meio!

Às três e meia em ponto, a porta da lanchonete se abriu e entrou Agnes com sua amiga. Tony tinha ensaiado com todos para gritarem juntos “Feliz Aniversário!”.

Agnes era a pessoa mais atônita… estupefata… e chocada que já vira! Ela ficou de queixo caído e as pernas tremiam um pouco. Sua amiga a apoiou pelo braço e a acompanhou até um dos bancos no balcão, quando então todos cantaram os “Parabéns” para a aniversariante. Quando Agnes viu o bolo com as velas, ela desmoronou de vez e começou a soluçar. Recompondo-se, olhou para o bolo e disse vagarosa e docemente, “Harry, tudo bem se eu... você deixa... olha, queria pedir pra você... posso ficar com o bolo um pouco? Em outras palavras, podemos esperar um pouco antes de partir o bolo?”


Dando de ombros, Harry respondeu, “Claro! Sem problema. Pode ficar com o bolo; pode levar para casa.”

“Verdade?” ela perguntou. Virando-se então para Tony, explicou, “Eu moro aqui pertinho, só umas duas casas para baixo, nesta rua mesmo. Quero levar o bolo pra casa e mostrar para a minnha mãe. Volto num instante. Juro!”

Agnes levantou-se e, carregando o bolo como se fosse a maior riqueza, caminhou devagarinho até à porta. Todos observavam a cena imóveis.

Quando a porta se fechou, o local foi tomado por um silêncio pesado. Sem saber o que fazer, Tony quebrou o silêncio sugerindo uma oração.

Ele orou por Agnes; por sua salvação, por uma mudança de vida, e que Deus cuidasse bem dela, e também para que todos ali recebessem Jesus. Quando terminou, Harry, inclinando-se sobre o balcão, disse, “Ei! Você não tinha dito que era um pregador. Que tipo de igreja você frequenta?”

Foi um daqueles momentos quando as palavras exatas são expressas, e Tony respondeu, “Sou de uma igreja que faz festas de aniversário para putas às três e meia da manhã.”

Harry parou um pouco, e respondeu, “Que nada! Não existe igreja assim, porque se existisse, eu ia virar membro. Eu me tornaria membro desse tipo de igreja!

Tony resumiu a história da seguinte maneira. “Todos nós, eu acho. Todos nós adoraríamos frequentar uma igreja que faz festas para putas às três da manhã, não acham? Ora, é o tipo de igreja que Jesus veio criar. Ele não sabe de onde tiramos aquele outro tipo, todo certinho e de nariz empinado. Mas qualquer pessoa que ler o Novo Testamento vai conhecer um Jesus que adorava fazer festas com putas e um monte de excluídos. Os publicanos e pecadores amavam Jesus porque curtia com eles. Os leprosos da época viram que Jesus comia e bebia junto com eles. Enquanto as pessoas piedosas não conseguiam entender ou se identificar com o que Jesus realmente era, os solitários que normalmente não eram convidados para nenhuma festa O seguiam todo animados. O nosso Jesus era e continua sendo o Senhor das festas e da curtição.”


Refletindo no acontecido, Tony comentou, “Agora parece estranho um sociólogo guiar uma reunião de oração com um bando de prostitutas em uma lanchonete em Honolulu às três e meia da manhã. Mas naquele momento parecia ser exatamente o certo a fazer.”[3]

Eu acho que experiências como estas de Tony oferecem aspectos muito importantes na ministração para aqueles que Jesus disse ter vindo buscar e salvar. Comecei a pensar, por exemplo, “Por que as pessoas fazem festas? O que me impediria de fazer uma festa parecida com essas duas mencionadas? Talvez me sentisse um peixe fora d’água ou sem graça nesse tipo de situação. Mas por quê? O que nos impede de nos colocarmos no nível de outra pessoa? O que nos impediria de fazer algo “fora do normal”? Porventura seria mais fácil fazer coisas diferentes se isso já fosse um hábito? Eu tenho certeza que se Jesus estivesse aqui em pessoa, haveria grandes chances de Eu encontrá-lO em uma situação parecida com essas — fazendo uma “festa” para pessoas que nunca tinham tido uma festa!

Faz pensar, não é? Eu acho que seria proveitoso para todos nós pensarmos nisso e ouvir o que o Senhor tem a dizer. Quem sabe, você vai estar fazendo uma festa sob condições que nunca imaginou!?

Tenho certeza que no decorrer destes anos, muitos de vocês, seguindo a inspiração do Espírito do Senhor, realmente fizeram coisas fora dos moldes. Eu consigo imaginar muitos, se colocados pelo Senhor em uma situação assim, fazendo algo igualmente radical e transformador. Fico feliz em pensar que também sabem chegar de maneira eficaz a pessoas “inatingíveis”, aquelas que precisam de Jesus desesperadamente. É maravilhoso saber que o Seu amor através de vocês vai fazer uma grande diferença na vida de muitas pessoas solitárias aí onde vocês se encontam.


[1] Vou usar algumas histórias de Tony Campolo nas minhas postagens, pois são uma grande inspiração. No prefácio do seu livro ele escreveu: “Sintam-se à vontade para usar estas histórias quando for conveniente. ... gostaria que colocassem o devido crédito, mas seria um encorajamento para o meu ministério saber que essas histórias estão sendo usadas para disseminar a verdade e ilustrar e dar mais vida às mensagens dos que desejam divulgar o Evangelho." Na minha opinião, essas histórias fazem exatamente isso, razão pela qual estou passando para vocês.


[2] Do livro Let Me Tell You A Story, (Quero Contar uma História) de Tony Campolo (Thomas Nelson, 2000); adaptado por Maria Fontaine.

[3] Do livro Let Me Tell You A Story, (Quero Contar uma História) de Tony Campolo (Thomas Nelson, 2000); adaptado por Maria Fontaine.

Tradução Hebe Rondon Flandoli, revisão Denise Oliveira.


Copyright © 2011 A Família Internacional.


sábado, 10 de setembro de 2011

Dedicatória

Dedico esta linda letra de música a minha esposa:

"Você é uma em 1 milhão. Oh
Você é uma em 1 milhão.
As vezes o amor te acerta todo dia
As vezes você se apaixona por qualquer um que aparece
Mas somente uma veio para ficar
Um sinal do Céu que me foi revelado

Você é uma em 1 milhão
Acontece só uma vez na vida
Fez me descobrir uma das estrelas do céu
Você é uma em 1 milhão
Acontece só uma vez na vida
Fez me descobrir uma das estrelas do céu

Tenho procurado por aquela pessoa especial
Tenho procurado por alguém para dar meu amor
E quando achei que não havia mais esperança
Um sorriso, você estava lá e eu estava perdido

Sempre vou me lembrar de como me senti naquele dia
Um sentimento indescritível para mim
Sim,
Sempre soube que havia uma resposta a minha oração
E você, você é aquela prometida para mim

Você é uma em 1 milhão
Acontece só uma vez na vida
Fez me descobrir uma das estrelas do céu
Você é uma em 1 milhão
Acontece só uma vez na vida
Fez me descobrir uma das estrelas do céu

 ... One in a million - Soundtrack from Miss Congeniality with Sandra Bullock (One in a million - Trilha sonora do filme Miss Simpatia com Sandra Bullock)
http://www.youtube.com/watch?v=lysQ5ZAganQ

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Construindo nossa eternidade pessoal

Esse artigo foi escrito originalmente no site da Familia Internacional para membros que viveram sua vida integralmente para Jesus (ou quase integralmente), mas tem lições que servem para qualquer um de nós.

Construindo Nossa Eternidade Pessoal

Peter

Agosto 2, 2011

Recentemente, alguém me disse se sentir desanimado por estar muito atrasado no tocante à sua situação física, resultado de haver devotado grande parte de sua vida às coisas espirituais nos seus muitos anos de trabalho missionário para o Senhor. Não tem muito dinheiro, poucos bens, nenhuma das credenciais típicas e lhe faltam outras coisas consideradas importantes na sociedade. É natural se sentir assim quando vê outros que tiveram outro estilo de vida, não passaram anos servindo Deus e estão bem estabelecidos, têm dinheiro suficiente ou em abundância, muitos bens materiais e até uma reserva financeira. Sem dúvida, ultimamente, muitos do nosso meio têm compartilhado desse sentimento. Encontram-se em dificuldades financeiras e de natureza prática, o que contribui para o aumento do sentimento de que estão em desvantagem.

Ao pensar e orar sobre isso, cheguei à conclusão que, essencialmente, é uma questão de investimento a longo prazo. As pessoas investem hoje na esperança de que, com o passar dos anos, os recursos aplicados cresçam, para que, no futuro, tenham muito mais do que no início. Quando você olha para seus pares na sociedade, é evidente que muitos investiram em educação, família, casa, carro, estilo e de vida, ações etc. e, no geral, hoje se beneficiam dessas aplicações. (Claro, que com a recessão, muitas pessoas viram seus investimento de anos ou até de toda uma vida perderem valor drasticamente, ou, em alguns casos, perderam tudo.)

É natural se sentir em desvantagem ao se comparar com aqueles que parecem estar muito à frente no que se refere a bem materiais. E é de se esperar que estejam, pois investiram mais nessas coisas.

Ao longo da vida, você investiu em outras coisas: bens imateriais. Acumulou tesouros no Céu ao investir nas coisas do Espírito.[1] Seu plano de investimento tem sido eterno e atemporal. Não juntou tesouros materiais deste mundo para servir Deus e para levar salvação aos outros. Todo o amor e compaixão demonstrados, o tempo dedicado ao seu relacionamento com o Senhor e muito mais são investimentos sólidos em seu futuro a longo prazo —muito longo, seu futuro eterno.

Todos conhecemos o ditado que diz que “desta vida nada se leva". No que se refere a bens materiais é totalmente verdade. A vida corpórea é deixada para trás, juntamente com tudo que é corpóreo. “O que é nascido da carne, é carne, mas o que é nascido do Espírito, é espírito.”[2] As coisas materiais desta vida, muito valiosas hoje, não têm nenhum valor na vida por vir.

É como a piada que um amigo me contou: Um homem rico recebeu a visita de um anjo e perguntou se poderia levar algumas de suas riquezas para o Céu. O ser angélico explicou que isso não costuma acontecer, mas que iria averiguar. Depois de um tempo, o emissário do Céu voltou e disse haver conseguido permissão para que o homem levasse uma mala cheia de riquezas. Por isso, ao morrer, o rico chegou ao portão do Céu com sua mala, onde encontrou o mesmo anjo. Este, curioso, pediu para ver que riquezas o recém-chegado trouxera. "Claro!" —respondeu o homem. Quando o anjo viu que a mala estava cheia de barras de ouro, perguntou surpreso: "Você trouxe pavimento!?"

Vocês não acumularam bens na Terra; investiram em coisas do Espírito. Isso os torna “ricos com Deus”.

Direi à minha alma: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos. Descansa, come, bebe e folga. Mas Deus lhe disse: Louco, esta noite te pedirão a tua alma. Então o que tens preparado, para quem será?Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.[3]

Sabemos que não é possível levar riquezas materiais para a próxima vida. Mas podemos antecipar o envio de tesouros. De certa forma, levamos nossa riqueza espiritual conosco. Uma vida conduzida aqui em conformidade com a Palavra de Deus faz uma diferença na por vir. Há coisas que podemos levar conosco, que têm grande valor do outro lado.

É importante lembrar disso ao se comparar com pessoas que hoje parecem estar em melhor situação material. Você tem investido pesado no Céu. Possui riquezas lá, acumulou tesouros pela forma que tem vivido e continuará a fazer isso, independentemente das circunstância atuais ou futuras, se continuar a investir em tesouros celestiais.[4]

O que fazemos na vida na Terra —o fruto do nosso relacionamento com o Senhor, nosso discipulado, obediência à Palavra de Deus, nosso serviço a Ele e a outros, nossos atos de amor— são investimentos na eternidade e fazem uma diferença na próxima vida. A falta de investimentos também. Como vivemos, nossas decisões, o bem que fazemos, o amor que damos, tudo soma ao nossos futuro eterno.

Ouvi uma voz do céu, que dizia: Escreve: Bem-aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor. Sim, diz o Espírito, descansarão dos seus trabalhos, pois as suas obras os acompanharão.[5]

Embora, enquanto cristãos, todos estejamos salvos e tenhamos a vida eterna, teremos de prestar contas de como vivemos, de como seguimos Deus e Sua Palavra, e seremos recompensados de acordo com o que fizemos ou deixamos de fazer na nossa vida na Terra.

Eis que cedo venho! A Minha recompensa está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.[6]

Todos devemos comparecer perante o tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal.[7]

Portanto, independentemente de nossas atuais circunstâncias, é importante não esquecer de acumular tesouros no Céu. Manter esse foco pode ser difícil, especialmente se estiver atrasado em alguns aspectos práticos e achar que por algum tempo precisará focar mais na parte física da vida, para se equilibrar melhor. Entretanto, é bom se lembrar que aplicar nas coisas do Espírito é investir no seu futuro a longo prazo, e que isso é tão concreto quanto os investimentos materiais. Quanto mais acumular no Céu pela sua forma de viver, maior será sua recompensa.

A Bíblia ensina que há diferentes níveis de recompensas para aqueles que são sábios. No Céu, existem os que se encontram entre os "grandes" e têm grandes recompensas. Há também os chamados de "pequeninos". Fala também de grandes recompensas para os que sofrerem perseguição, amarem seus inimigos, fizerem o bem, do galardão do profeta e da pessoa justa. Estes versículos indicam que existem diferentes tipos de recompensas, algumas maiores e outras menores.

Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por Minha causa. Regozijai-vos e alegrai-vos, porque grande é o vosso galardão nos Céus, pois assim perseguiram aos profetas que foram antes de vós.[8]

Ao contrário, amai os vossos inimigos, fazei o bem, emprestai, sem nada esperardes. Então será grande o vosso galardão.[9]

Quem recebe um profeta na qualidade de profeta, receberá galardão de profeta, e quem recebe um justo na qualidade de justo, receberá galardão de justo.[10]

Qualquer que violar um destes mais pequenos mandamentos, e assim ensinar aos homens, será chamado o menor no Reino dos Céus; aquele, porém, que os cumprir e ensinar será chamado grande no Reino dos Céus.[11]

A parábola de Jesus sobre as minas[12], encontrada no livro de Lucas capítulo 19[13], mostra, entre outras coisas, que existem diferentes recompensas com base no que fazemos ou deixamos de fazer. Para ser breve, vou citar apenas uma parte da passagem.

Certo homem nobre partiu para uma terra remota, a fim de tomar para si um reino e depois voltar. Chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: “Negociai até que eu volte.” Voltando ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganhado, negociando.

Veio o primeiro, e disse: “Senhor, a tua mina rendeu dez minas.” Respondeu lhe: “Bem está, servo bom. Porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade.” Veio o segundo, e disse: “Senhor, a tua mina rendeu cinco minas.” A este disse também: “Sê tu sobre cinco cidades.”

Veio outro, dizendo: “Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço. Tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tiras o que não depositaste, e segas o que não semeaste.” Porém ele lhe respondeu: “Mau servo, pela tua boca te julgarei! Sabias que sou homem rigoroso, que tomo o que não depositei, e sego o que não semeei. Por que, pois, não puseste o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o recebesse com os juros?”

Então disse aos que o assistiam: “Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem as dez.” Eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver até o que tem lhe será tirado.[14]

O próximo trecho fala da importância da maneira como construímos nossa vida no alicerce, Jesus, e dos efeitos disso na nossa recompensa futura.

E, se alguém sobre este fundamento levantar um edifício de ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha, a obra de cada um se manifestará, porque o dia a demonstrará. Pelo fogo será revelada, e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou sobre ele permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá perda; o tal será salvo, todavia como pelo fogo.[15]

Não podermos "levar conosco" os bens materiais para a próxima vida, mas podemos levar os frutos de nossa vida espiritual, resultantes da aplicação da Palavra de Deus em nosso cotidiano, de termos seguido as orientações do Espírito Santo, de vivermos em amor como Jesus o fez. Os frutos de nosso caminhar espiritual com o Senhor, da obediência ao que Ele nos mostra para fazer, da testificação, do nosso amor por outros, do caminhar no Espírito e de viver segundo os valores cristãos terão impacto em nosso futuro eterno.

Enquanto cristãos, recebemos a dádiva da vida eterna por meio de Jesus. A dádiva de Deus da salvação garante nossa existência eterna. Somos seres eternos e, como vimos, o que fazemos em nossa vida terrena tem impacto direto nas recompensas que receberemos em nossa existência atemporal. Então, a forma como vivemos nossa fé hoje é muito importante, pois tem consequência de longo prazo, não somente nesta vida, mas em nossa vida eterna também.

Lembrar dessa verdade nos ajuda a determinar o que é importante em nossas vidas, os nossos valores centrais individuais, estabelecer e defender os princípios que regem nossas vidas. É isso que deve orientar nossas decisões, quando escolhemos agir ou deixar de agir de uma certa maneira. O Senhor conduz as pessoas por caminhos diferentes, e Sua vontade para a vida de alguém provavelmente é diferente do que Ele quer para o outro. Entretanto, em todos os casos, como vivemos em relação à Palavra de Deus e Sua vontade, nosso relacionamento com Ele e com outros, nossa conduta, o bem que fazemos, o amor que damos, a vida que levamos, tudo desempenha um papel em nossa eternidade pessoal.

Ao seguir Deus independentemente das circunstâncias, deixar os frutos do Espírito nortear sua vida —vivendo com amor, alegria, paz, longanimidade, fé, bondade e temperança—, amar Deus e os outros, considerar os demais superiores a você mesmo, amar seu próximo como a si mesmo, permanecer no Senhor, permitir que Ele permaneça em você e aplicar os ensinamentos de Jesus em seu dia a dia, você investirá na sua eternidade. Você pode levar algo desta vida pelos frutos da sua fé aplicada hoje.

[1] Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem destroem e onde os ladrões arrombam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. Pois onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração. (Mateus 6:19–21).

[2] João 3:6.

[3] Lucas 12:19–21.

[4] Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem destroem e onde os ladrões não arrombam nem roubam. (Mateus 6:20).

[5] Apocalipse 14:13.

[6] Apocalipse 22:12 .

[7] 2 Coríntios 5:10.

[8] Mateus 5:11–12

[9] Lucas 6:35

[10] Mateus 10:41

[11] Mateus 5:19 NIV.

[12] Uma mina equivalia a 100 dracmas, o equivalente a três meses de salário de um trabalhador comum.

[13] Lucas 19:11–26: Ouvindo eles estas coisas, Jesus contou uma parábola, porque estava perto de Jerusalém, e pensavam que o reino de Deus havia de manifestar-se imediatamente. 12 Disse ele: Certo homem nobre partiu para uma terra remota, a fim de tomar para si um reino e depois voltar. 13 Chamando dez servos seus, deu-lhes dez minas, e disse-lhes: Negociai até que eu volte.14 Mas os seus concidadãos o odiavam, e mandaram após ele embaixadores, dizendo: Não queremos que este reine sobre nós. 15 Voltando ele, depois de ter tomado o reino, disse que lhe chamassem aqueles servos, a quem tinha dado o dinheiro, para saber o que cada um tinha ganhado, negociando. 16 Veio o primeiro, e disse: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. 17 Respondeu lhe: Bem está, servo bom. Porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás autoridade. 18 Veio o segundo, e disse: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. 19 A este disse também: Sê tu sobre cinco cidades. 20 Veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço. 21 Tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tiras o que não depositaste, e segas o que não semeaste. 22 Porém ele lhe respondeu: Mau servo, pela tua boca te julgarei! Sabias que sou homem rigoroso, que tomo o que não depositei, e sego o que não semeei. 23 Por que, pois, não puseste o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o recebesse com os juros? 24 Então disse aos que o assistiam: Tirai-lhe a mina, e dai-a ao que tem as dez. 25 Eles responderam: Senhor, ele já tem dez minas. 26 Eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver até o que tem lhe será tirado.

[14] Lucas 19:12, 13, 15–26

[15] 1 Coríntios 3:12–15.



 Copyright © 2011 A Família Internacional.

Dedicação ou Perdição

Dê a Deus a sua vida ou dê adeus a sua vida.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Bico do pão

Estava conversando com uma colega de trabalho sobre relacionamentos e como manter um casamento feliz por muito tempo e ela lembrou de um depoimento de um casal de idosos que estavam juntos por quase ou mais de 50 anos. O sábio senil contou o seguinte:

"- Quando eu e minha amada esposa tomamos o café da manhã, sempre prefiro comer o bico do pão bisnaga - (baguete em alguns lugares do Brasil, ehhh Bahia!!! :)) ) - mas, cedo o bico para ela porque acho que estarei demonstrando meu amor por estar dando algo que gosto e mesmo comendo o meio da bisnaga, fico feliz e satisfeito por estar dando meu mehor para minha esposa. Esse é o segredo!"

A esposa também acrescentou:

"- Eu não gosto do bico do pão, e, sim, do meio. Mas para não magoá-lo e fazer ele se sentir bem por estar me dando seu pedaço preferido do pão, aceito com carinho esse gesto de verdadeiro amor por mim. E eu por ele, claro."

É o amoooor...!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Anjo

Nas minhas comutações trab-casa, me deparei com a seguinte mensagem: "Não corra tanto que seu anjo não consiga lê acompanha." Se trata de leitura ou conselho? :P

Real-time Earth and Moon phase

Testa Velocidade da Banda Larga

Ocorreu um erro neste gadget

Quantos já viram